segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Fale-me de ti


                                    

                                   Fale-me de ti

Fale-me de suas pretensões e de sua vaidade
De tua sorte e crendices
De opiniões e verdades
Fale-me sobre a chuva, o vento, sobre o que quiseres
Mas fale-me de ti.

Fale-me de sua ternura e da sua brandura
De suas paixões e amores,
De suas buscas e  loucura,
Das decepções, das fugas, dos dissabores,
Mas fale-me de ti.

Fale-me dos seus anseios, dos desejos mais profanos
Das tuas malicias e inocência,
Das  boas lembranças e travessuras de adolescência,
Mas fale-me de ti.

Fale-me do campo, das flores e jardins,
Fale-me de sua vida, não esqueça o passado
Das preferências ou aborrecimentos
Mas fale-me de ti.

Fale-me com esse seu jeito terno e ameno
Um jeito simples e sereno
De um jeito amante, amigo
Mas fale comigo.

Fale-me da sua essência, das virtudes
Dos maus pensamentos e de tua bondade
Do teu silencio e das tuas atitudes
De suas conquistas, da mocidade
Mas fale-me de ti.

Fale-me com um olhar
Do primeiro encontro,
Tanto carinho e tanto encanto
Fale-me do primeiro beijo
Mas fale-me o que não é teu desejo.

Fale-me desse amor que surgiu entre nós
E que me faz refletir a todo instante:
Meu prazer é ter você ao meu lado
Sem a sua companhia, não teria alegria.

Fale-me, por favor, fale-me
Fale-me apenas, que enquanto houver sol
Estará sempre comigo
E que esse amor será o nosso abrigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário